quarta-feira, 15 de agosto de 2007

O que vale a pena?!

"Ficou difícil, tudo aquilo, nada disso
Sobrou meu velho vício de sonhar
Pular de precipício em precipício, ossos do oficio
Pagar pra ver o invisível e depois enxergar
Que é uma pena, mas você não vale a pena, não vale uma fisgada dessa dor
Não cabe como rima de um poema, de tão pequeno
Mas vai e vem, e envenena, e me condena ao rancor
De repente cai o nível e eu me sinto uma imbecil
Repetindo, repetindo, repetindo como num disco riscado
O velho texto batido dos amantes mal amados, dos amores mal vividos
E o terror de ser deixada
Cutucando, relembrando, reabrindo a mesma velha ferida
E é pra não ter recaída que não me deixo esquecer
Que é uma pena, mas você não vale a pena, não vale uma fisgada dessa dor..."

É de se espantar a quantidade de músicas que falam sobre a decepção com a ausência do amor!
Justo o amor que segundo dicionários é a inclinação da alma e do coração... é o sentimento que move o mundo! Logo ele, ou melhor, a falta dele... provoca nas pessoas uma angústia incontrolável em busca de chegar logo ao final de todo aquele sofrimento! E junto dessa espera vem a aflição... junto desse aprendizado forçado sobre o que vale e o que não vale a pena...
Todo mundo já "sofreu" por amor um dia e mesmo assim quem diz que não quer amar nunca mais, mente! Mesmo por quê essa coisa de amor é indefinível... Nada é mais poderoso do que o que a gente sente, nada, nem mesmo o que a gente pensa! O fato é que nesses casos age-se muito mais com o coração do que com a razão! Mais aí entramos naquele velho problema sobre a busca do amor... Isso sim cansa! E cansa mesmo... desanima! Aí então recorremos aos sábios e famosos conselhos alheios... Já dizia Mário Quintana: "O segredo é não correr atrás das borboletas..."
E aqui estamos nós... cuidando do jardim e esperando que elas venham até a gente! Só tenho uma dúvida em relação a isso, quem me garante que essas borboletas ficarão para sempre?! Que pelo menos elas serão fiéis ao meu jardim?! Algumas borboletas também estão só de passagem... assim como as pessoas cometas do outro poema... E como a gente faz pra identificar isso?! Acho que elas poderiam começar a vir com o prazo de validade em cores gritantes, se possível piscando... pra gente já se preparar... Coisas previsíveis se tornam chatas com o tempo, mas amores imprevisíveis também! Existe uma desigualdade muito grande nesse aspecto, eu acho que todo mundo têm direito a uma cota de desilusões... e particularmente falando, acredito que a minha já tenha ultrapassado!

Do mais... quero parabenizar a Maria Rita que soube escolher muito bem a letra dessa canção!

Um comentário:

Cezar disse...

...Primavera vem chegando...pássaros assoviando...Flores brotando e MARIA RITA cantando para amenizar a nossas almas c/ sua doçura e sua voz que é mais uma voz da alma...Enfim ou até que enfim UMA INTÉRPRETE...