segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Eternas "farinhas do mesmo saco"...

Eu nunca sei como começar esses tipos de texto, mas gosto da idéia de começar já explicando o fato de não saber começar, isso já evita qualquer tipo de pensamento mais profundo da minha parte. E bom, pra começar eu gostaria de agradecer por você dar um sentido mágico àquela frase: "AINDA BEM QUE A GENTE SEMPRE TEM A GENTE"
Você sabe que não sou a pessoa mais "meiguinha" do mundo, mas, o incrivel é que as histórias e as burrices se repetem e o destino não cansa de juntar a gente denovo. Apesar dos distanciamentos e de todos os outros impecilhos. O importante é que nos fortalecemos nos momentos alegres, mas, principalmente em situações adversas. Sempre com palavras carinhosas e sinceras e um copo de cerveja quando o mundo parece perder o sentido. Se calando quando for preciso e puxando a orelha quando for necessário. É engraçado o tanto que a gente parece, não só pela preferência pela mão esquerda, nem pelas cagadas amorosas e pelo amor que nutrimos pelo alcool, mas pelas atitudes e pensamentos. É bem aquela dê completar frases.
E não é fácil manter uma amizade ao longo dos anos, porque não é fácil conviver com mudanças geográficas, transformações pessoais, preocupações com a vida profissional e tantas outras alterações que acompanham nossa pseudo vida adulta. Mas, somos exemplo de que isso é possível. E o problema é que não conseguimos perder a ingenuidade. Acho que é melhor desconfiar do que se jogar de cabeça num poço fundo - e vazio. Mas não, somos teimosas, irritantes e insistentes! E neuróticas também, também depois de estar com as mãos já calejadas, experiências frustradas e corações remendados. Acreditamos desacreditando, vivemos com um pé atrás, estamos sempre na defensiva. Porém, agir sempre assim, parece que somos espertas demais para não sofrer e chorar outra vez. Funciona. Não choramos. Não nos decepcionamos. Não sofremos. Nem vivemos. E isso nem parece com a gente.
Porque, Amanda, é como eu sempre te falo, pode apostar que um dia o poste cansa e MIJA no cachorro... ah, isso COM CERTEZA!
É também o fato de saber rir da nossa desgraça particular faz bem, rir das situações bizarras que TEIMAM em nos acontecer, acredito que se houvesse uma bigorna tipo aquelas de desenho animado, certamente ela já teria caido na nossa cabeça...
Sabemos que não cabem numa mesma lata o sentimento e o bom senso!
Convém falar também da imensa falta que você me faz, juntamente com todas as meninas, como já sabe não possuo amiguinhas, só amigas. e é dessas amigas que mais me sinto falta e você está no top 5 das ausências mais sentidas.
Entretanto, você faz a distancia parecer só um detalhe.
No mais, queria te agradecer. Agradecer por toda a paciência. Por escutar toda minha ladainha diária. Por me aguentar nas piores fases. Por me respeitar mesmo quando a gente discute. Por tomar todas comigo e sempre ouvir meu discurso manjado de que os homens são todos iguais, de que nunca mais vou me apaixonar de novo, que não entende porque só atraio gente problemática. Obrigada por dividir seus medos e me deixar dividir os meus. Acho que te conheço de outra vida. Você que me conhece como ninguém. Obrigada por está ao meu lado em todos os momentos (alegres, tristes e mornos). Você me faz acreditar que o dia seguinte será sempre diferente e se não for, a gente vai ter um motivo pra ficar bebada e se lamentar.
Obrigada por você tentar manter minha sanidade, tentar ser forte, por ser amiga, doce, linda, loura, sincera e fingir ser sensata. Obrigada por ser você. Falar de você é dificil. Nunca fica do jeito que eu quero. Porque você é mil mulheres em uma. Sem fazer força. Sem perder a doçura. Sem perder o brilho. que exala e encanta. Tem uma beleza infinita de alma e de coração. Beleza de saber viver e fazer os outros felizes. Beleza de manter a delicadeza e o respeito, num mundo onde valores como esses são tantas vezes deixados de lado. Mas você sabe. Sempre soube. Ah, e bebeu pinga comigo aos 16 anos de idade, o que possa tê-la estragado um pouco - ou muito. (Pelo menos aprendemos que uma boa vodka faz toda a diferença). Mas se causei tal estrago, com você só ganhei.
Outra coisa ouvi uma música que se enquadra perfeitamente com a gente, Love is a losing game, de Amy Winehouse (tá, peguei pesado) Pra falar a verdade, não lembro bem do muito a letra da música e pra falar a verdade de novo, não sei porque fui ver a letra da música, mas hoje, agorinha mesmo tocou na rádio, pra falar a verdade mais uma vez porque eu sou uma pessoa muito sincera, é muito nossa cara. Tipo, É uma música meio triste, para uma reconciliação foda, talvez, com aquele palhaço que você sabe que não vai ter jeito, que não vai mudar, que não te ama, mas que seilá, tem uma conversa que te deixa querendo apostar todas as cartas nesse jogo de azar que é o amor, mesmo que ele, o adversário, seja um jogador muito melhor que você. Enfim, como sempre acontece com a gente...


Te amo. Ad infinitum
E que venham as fossas e as garrafas de cerveja! E que também, se possível, que venham os principes, né? Porque isso de ficar lidando só com sapos tá ficando meio repetitivo.
E lá vamos nós rumo aos vinte e poucos anos... Que os próximo sejam sempre assim. Porque essa é a nossa vida. E eu não trocaria ela por nada.

Um comentário:

Tathy disse...

Ke.. precisa acontecer coisas extremas pra eu postar. Fiz u post, dps vc lê, já que não nos vemos essa semana..

te amo ;*