quinta-feira, 19 de junho de 2008

Série: Coisas que só acontecem comigo

Não adianta. Vocês podem tentar superar. Mas nunca, nunca mesmo vão conseguir me ultrapassar no quesito: Bizarrices que me acontecem todos os dias. Ou tá todo mundo louco, ou então não sei mais o que acontece. Que as pessoas perderam o senso eu já sabia há tempos, mas que elas enlouqueceram pra mim foi novidade. É chover no molhado se eu disser que as pessoas mais afetadas pelo mal do século: necessidade de ser bizarro, são, em sua grande maioria do sexo masculino? Tem pinto, é bizarro. Alguém aqui, já ouviu falar num cara que tá num colchão, ou seja, literalmente na cama, com uma mulher quando de repente, não mais que de repente começa a chorar por causa de outra? Não, né? Eu também não, pelo menos até o fim de semana. É, meus queridos, o princeso chorou! E eu, alma muito bondosa e bebada consolei a criança. A cereja do bolo é que, a mulher por quem ele chorava, que segundo ele tinha um papo legal, sabia conversar, era engraçada, espirituosa, não era só um corpo bonito tem....16 anos! Não sei, mas me pareceu estranho essa afirmação. E diante de tal situação eu não conseguia evitar o riso. Não satisfeito com o papelão, ainda me perguntava se eu tava rindo dele. Bom, diretamente dele não. Mas estava rindo da situação, que era no mínimo ridícula, pra não dizer bizarra. Outra coisa, a situação era toda estranha. Tudo bem que o moço poderia estar passando por um momento de carência, tá, entendo tudo isso, com muito esforço, mas tá. Ok. É feio fazer essas coisas. Ok. Feio, mas beleza. Mas que é diferente, isso é. Conversa vai, conversa vem ... Ouço o seguinte trecho:

Ele - Ela gosta de mim, ela só não sabe disso
Eu - Humm...
Ele - É que ela terminou um relacionamento de dois anos agora e não quer naramorar
Eu (Perdendo a oportunidade de ficar quieta) - Não é por nada não, mas mulher não tem disso não. Se ela quisesse estar com você, acredite, ela estaria.
Ele - A Familia inteira dela gosta de mim, ela também deve gostar.
Eu - Outra coisa que não deve ser levada em consideração. Mulher não se importa muito se os outros gostam quando ela mesma gosta.
Ele - Um dia você vai me entender. Eu, na verdade, tinha que ficar é com você, você é linda, ia ser tudo mais fácil.
Eu - Não não...(Quem disse que depois do show EU queria ficar com ele? Aí aí... É cada uma...)
Ele - Amanhã é outro dia? Quer dizer, se a gente ficar eu não posso prometer nada...

Congela a cena.

Não, não estou numa pegadinha do Sergio Mallandro. Olho para os lados e não vejo cameras, nem contra regras. Não. Me recuso a acreditar que um garoto de 20 anos, bem nascido, entre outras coisas, consiga elaborar em seu cérebro uma situação como essa. Vamos lá, o cara estava chorando a menos de 5 minutos atrás por causa de outra. E agora vem todo cheio de coisa pro meu lado, do tipo "quero te comer e amanha a gente finge que não se conhece". Olha, eu até sou a favor do sexo sem compromisso de vez enquando. Acho válido. Se ele não tivesse falado nada, chorado e etc provalmente era o que iria acontecer e todos sairiamos felizes, porque no outro dia eu não ia aparecer com um par de alianças, planejando a data do casamento e escolhendo os nomes dos filhos. E eu até dei uns beijos nele mesmo depois do choro, porque, tava ali sem fazer nada mesmo. E o princeso tem um beijo gostoso que dói. Só que daí a dar pra ele, com ele esfregando na minha cara que no outro dia não ia falar comigo. Oi? Como assim? Deixa eu explicar uma coisinha, existem coisas que não precisam ser ditas. As pessoas perdem várias situações boas porque pecam no excesso de palavras. Na dúvida, não fala nada. Só faz, melhor assim. Pra todo mundo. Depois ainda eu fico com fama de fria. Mas como explicar para o jovem que nós mulheres não precisamos de flores no dia seguinte? Que as vezes a gente espera alguma coisa demais. Mas, noutras a gente nem quer. E que se ainda precisássemos, poderíamos perfeitamente procurar um cara que combinassem com tais espectativas, e sinto informar você não combina.E também não combina com o estilo cafageste. Aliás, dificil saber com o que vc combina, mas enfim
Depois disso tudo, não gostou que eu não quis. Depois de dar uns amassos virei pro lado e quis dormir. Eu queria, de verdade. Mas é desaforo uma coisa dessas. É muita cara de pau! O cara começa a chorar por causa de outra enquanto podia estar se divertindo comigo. Eu consolo, abraço. Carinho daqui. Dai ele gosta da situação e resolve que “amanhã é outro dia", mas nem se dá ao trabalho de tentar consertar a situação. Tava chorando por causa de outra aqui pra ela, mas que qui tem?!?!? “quem sabe faz a hora”, e manda logo a real...

Tá pensando que é assim?!?!?
Como eu estava de bom humor e bebada. Tentei conversar para que ele ficasse numa boa e me deixasse dormir. Ainda deu xiliquinho. E num ataque de macheza pegou a moto e quis embora. Eu tentei falar que era pra ele esperar. Que tava de madrugada, e rodovia de noite é perigoso. Ele tinha bebido um pouco e não era prudente pegar a pista de moto pra fazer chame. Tentei falar, em vão. Ele argumentava que precisava da cama dele. Nesta quase perco a paciência! Xinguei ele mentalmente. Ficava falando que um dia eu ia entender ele. E que naquele dia ele realmente queria ficar comigo. Foda-se. Ele não tem que me dar satisfação. O que ele tinha que ter feito não fez. Aliás, fez mais do que precisava. Agora queria ficar justificando? Era 4 horas da manhã, eu já estava sem paciência e dormindo em pé. Não tinha mais saco pra ficar argumentando sobre os riscos de se pegar moto na rodovia bebado. Desisti e fui dormir. Como ele viu que eu não dava dando mais trela. Começou a entrar no lugar onde estava meu colchão pra pegar as coisas dele. Primeiro era tenis. Depois blusa. Depois capacete. Ele finalmente parece compreender que eu não ia mais insistir e ficou lá fora. Tocando violão. Ah, vai dar meia hora de bunda, filho.. Fiquei muito brava porque eu queria dormir e depois de tudo que tinha acontecido eu merecia MUITO dormir em paz. Me perguntei um milhão de vezes o que de tão errado eu havia feito a Deus. No minimo eu dancei frevo em cima da mesa da santa ceia. Seilá, só sei que foi algo grave. Levantei e fui pedir pra ele ir dormir. E principalmente, me deixar dormir. Ele começou a falar que eu não entendia ele. Que um dia eu ia entender. Ou seja, tudo culpa minha. Cara, isso é uma palhaçada das grandes: virar o jogo pra colocar a mulher como “culpada”de alguma coisa. Fiquei muito puta e ele chantageando com a história de ir embora. Falei pra ele ir com Deus que eu estava indo dormir.
No outro dia, não contente, fui perguntar como ele estava (BURRA) ele ainda vem falar que eu expus o sentimento dele, que contei pra todo mundo o que aconteceu. Vem cá, estavamos todos num rancho, dormindo na cozinha, com mais um monte de gente e ele acha que NINGUÉM escutou o show? Ele se expõe e mais uma vez joga a culpa em mim.
Depois disso nunca mais tocou no assunto. Por que será??? Melhor assim que me poupa de ter que me controlar em cima do salto pra não ser grossa. E o pior é que eu me preocupo com ele. Que faz uma sucessão de cagadas e acha que tá certo.

Vai achando, viu. Vai achando
No dia ele ainda tinha dito:
- Você vai ver que eu to certo um dia, não esquece viu?

Pode deixar, não vou esquecer.
É cada uma viu...
Vou morrer e não vou ver tudo.

Um comentário:

Nathalia disse...

hahaha mano, é serio... publica um livro! nao to brincando!!!!