terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Morro e não vejo de tudo.

Parece piada, as meninas morrem de rir a cada vez que eu faço uma cara de espanto e solto essa pérola. Mas é uma das verdades absolutas, eu, aliás, acho que essa célebre frase deveria entrar nos mandamentos, fazer 11 com ela, porque se tem uma coisa que sempre, SEMPRE, vai acontecer é isso.
Sempre alguém vai aprontar uma que você nunca esperava. Sempre você, que se julga a descolada vai ver que você é uma coitada e que há pessoas muito mais... descoladas, digamos assim, que você. Enfim, viemos ao mundo para nos surpreender.
Supresas boas e ruins, ou simplesmente 'chocantes' mas ainda sem definição de bom ou não.
Mas hoje eu vim falar de outro tipo de surpresa, certas coisas que me acontecem são tão ridiculas que eu tenho até vergonha de compartilhar, mas "temos que rir da nossa própria desgraça", e é isso que tenho feito, o tempo todo, aliás.
E eu só vou contar aqui porque eu tenho a certeza absoluta que isso não acontece comigo, isso é mais comum do que se imagina mesmo sendo rídiculo.
Vou começar do começo.
Conheci um menino, faz um tempo. Aliás, faz muito tempo, acho que no começo do ano, não estou muito certa. Não conheci assim...de conhecer. Estava indo pra alguma festa com uma amiga minha e ele era amigo dela (como mais conheço pessoas?) e estava na rua por um acaso. Ela parou o carro pra perguntar não sei oque, nisso ele me viu e comprimentou. Ok, morreu. Falei pra ela que ele era bonito essas coisas que se comentam entre meninas quando surge um outro sujeito na história. Mas daí, vida que segue e nunca mais vi o moço e nem fiz muita questão. Depois disso, ele me adicionou em orkut, msn... mas nunca mantivemos muito contato, afinal eu tinha visto ele uma vez só e nem tinha assunto. Era bonito, mas como tantos outros que eu vejo diariamente. E ele meio que se interessou, chegou a falar algumas baboseiras pra essa minha amiga, mas também ficou por isso mesmo.
Daí que esses tempos voltamos a nos falar, eu também não sei porque, mas daí conversa vai.. conversa vem, "Oi, então melhorou?". "Opa Kenia to melhor sim, quase bem..." (ele sofreu um acidente recentemente). "precisamos combinar alguma coisa" "Poisé, vamos combinar sim". Acabou que não deu certo também, eu nunca podia, ou eu não ia. E no fim acabava indo, essas coisas. Mas durante esse tempo de conversa o moço era realmente interessante e seilá... não tava fazendo nada mesmo. E engraçado era que o papo não tinha fim, algumas afinidades e tal, mas nunca fomos melhores amigos de infância.
Ele tem cara de safado, mas né... como a história de quem ve cara não vê coração é meio duvidosa e nem sempre é bem por aí, eu fui descobrir que a safadeza ia além do rosto-bonito-e-safado. Mas, até então isso não oferecia perigo, porque eu nunca encontrava com ele e também não estava muito afim de qualquer coisa que fosse colocar em cheque meu pobre coraçãozinhoinhoinho. O lance era ser feliz e beijar na boca. Só.
A coisa foi indo até que um dia ele sumiu. Mas assim, do nada MESMO. E lembra da minha amiga? Então, eu sabia que ela pegava um amigo dele a muito tempo atrás. E eu estava presente em algumas vezes que ele ligava e tal. Mas, como ela sempre foi muito fechada nunca entravamos em detalhes e tudo que eu sabia era o que tinha saído da boca dela. Somos amigas a mais de 6 anos e eu posso contar nos dedos as coisas intimas que eu sei dela, mas tem pessoas que são assim mesmo então eu nunca encanei. Mas eu ficava com a pulga atrás da orelha, eu encanei que ela já tinha pegado ele, o que não era problema algum, mas tivesse me falado que eu nem ia querer, porque essas coisas de passar paquera pra amiga nunca funciona. Eu não passo e não gosto de pegar nada que me 'passem', sou possessiva, até com as coisas que não gosto mais.
Voltando ao sumiço do moço, eu nunca entendi muito bem. Porque ou então essa historia de que ela pegava ele é mesmo veradade e houve alguma coisa que eu não sei o que que culminou nisso. Ou ele é louco de pedra. Daí que ontém, do nada ela vira e diz que vai lá visita-lo. Quer dizer, estavam se falando no MSN. Detalhe: pra mim ele estava off o dia todo.
Fiquei possuida. Não que estivesse apaixonada, ou ficado com ele recentemente, mas o que uma pessoa dessas tem na cabeça?
Que homem é cafajeste e nenhum presta, eu tô cansada de saber, mas que ele é burro o suficiente pra não imaginar que mulheres conversam, ainda mais amigas, é um pouco demais pra minha cabeça. Achei o fim da picada. Como ele não é nada meu, não falei nada. Não mandei email. Nem nem recado em msn. Mesmo morrendo de vontade. Minha vontade era pegar um megafone e falar pra todo mundo que eu posso até ser idiota, mas eu sei das coisas, sabe?
Mas tem homem que não merece essas ceninhas. E ele provou ser um deles.
O que me conforta é saber que cedo ou tarde ele vai ficar on line denovo e vir falar comigo. Daí eu respondo: Estou off line!

Agora, me diz, pra que? poisé... morro e não vejo tudo. Gente estranha.

Um comentário:

Lilian Menoni disse...

Caraacaaaa meww, mtoo bom esse texto hein! Fodérrimo!
auhasuhashu. homem é tudo assim msm!
Bjoks Keeeeniiii!