quarta-feira, 7 de maio de 2008

ultima vez

Eu não queria falar disso. Queria manter a linha de sempre. Mas não consigo fugir do que tá em mim e dessa imensa vontade de falar. Um dia, se eu tivesse a oportunidade de conversar com você. Se você viesse falar comigo, só assim isso seria possivel. Porque eu não consigo chegar até você. Não consigo sentir mais uma pra coleção de humilhações que eu passei. Hoje me peguei pensando muito em você. E em tudo que aconteceu. Se hoje, depois de tanto tempo a gente conversasse eu teria muita vontade de te falar o que eu acho de você. Queria te falar tudo que eu senti. Queria poder te mostrar o quanto o que você fez marcou. E marcou de uma forma ruim. De um jeito o qual eu nunca mais quero ser marcada. Hoje eu mexi nas minhas caixinhas de lembranças e não consegui encontrar nada de bom relacionado a você. Todos os momentos bons ficaram minusculos perto das atitudes ruins. Das grosserias. Das desatenções. Das humilhações. Eu tenho vontade de te falar o quanto eu te acho louco. E não. Não é figura de linguagem. Se um dia conversarmos vou te falar o quanto te acho um doente. De verdade. Tenho certeza de que se você ir a um profissional ele vai constatar alguma coisa. Eu acho que somos egoístas. As vezes pensamos só na gente. Agimos por impulso. Mas eu não consigo acreditar na capacidade de magoar de propósito. Não consigo achar que toda sua crueldade era consciente. Não dá, sabe? Pode me chamar de inocente. De boba. Hoje lembrando de tudo que aconteceu eu encontrei muitas mágoas guardadas no meu coração. Mágoas que eu nem sabia que existiam. E nem que pesavam tanto. Eu consegui exergar você. Você mesmo. Você de verdade. Você e seu coração indiferente. Cinza. Incolor. Lembrei de todos os meu choros abafados. De toda minha indignação. De toda minha vontade de viver todo o amor que houvesse nessa vida. E de vive-lo com você. Porque eu acreditava que o fato de você ter aparecido um dia depois do término de um longo e conturbado relacionamento era um sinal. Era um sinal de que daquela vez ia dar certo. De que eu poderia apostar minhas fichas que não ia ter erro. Ledo engano. Mais um pra minha coleção. Hoje eu vi você como nunca tinha visto antes. Como uma pessoa que me machucava. Como uma pessoa na qual eu não tenho a minima vontade de estar perto. A minima saudade. Alguém que eu desconheço. E hoje, te desejei toda minha dor.
Lembrei de todas as noites que eu não dormi. Te todo meu esforço pra te ver. De tudo que eu abria mão pelo simples motivo de querer estar com você. De todo seu descompromisso. De todos os dias em que você não chegou. De todos os telefonemas que eu não recebi. Lembrei da dor de precisar de você. De querer fazer parte da sua vida. Enquanto você já era a minha. A vontade de querer te ver todos os dias. A vontade de querer estar com você todos os dias. A dor de chorar de saudade. A dor da espera. A dor de acreditar em algo que não existia. Ou que até existia, mas só em mim. A dor da mentira. A dor da indiferença. Lembrei de quanto eu tentava ser forte. Do quanto eu tentava superar diferenças que nunca seriam superadas. Do tanto que tentei entender e não fui entendida. Lembrei que você me desamou quando eu mais precisava ser amada.
E sabe, eu te desejo toda a dor do meu coração. Por cada coisa que eu te disse. Por cada sensação ilusória que tive. Por cada sorriso sincero. Por cada olhar sincero. Por amar você com a certeza de que seria feliz e de que te faria feliz. Por ter achado que minha vida não seria nada sem a nossa vida. A vida que eu criei pra nós dois. A vida que você me fez criar com cada atitude vazia sua.
Te desejo cada dor minha. Por você ter marcado minha vida de forma irresponsável. Por ter sido leviano comigo. Você magoou alguém que sempre te quis bem e sempre te tratou com muito carinho. Foi além de magoar. Você foi cruel. Quase um monstro. Por todos nossos sonhos em vão. Sonhos que foram apenas meus.
Hoje depois de tudo que aconteceu. Tudo que foi dito e principalmente feito. Eu tenho a certeza de que não existe mais nada. Nenhum tipo de sentimento bom. Eu não consigo te olhar com ar de frustração. Porque ter você como ex é algo muito bom. Alguém como você não faz bem. Não te conheço. Nem você se conhece. O que é mais triste.
Não consigo ter respeito por alguém que não age como homem comigo. Quem não age como homem não merece nem meu respeito. Nem minha consideração. E nem minhas lembranças.
Essa foi a última vez que falei de você.
Pode apostar.

2 comentários:

Karol Granchi disse...

Poxa.....

:0

Maira disse...

Nossa!
Babei agora, e saiba de uma coisa, eu estava do seu lado quando isso aconteceu, e estarei ao seu lado sempre!!
Ahh minha loraaa esse texto cabem em tantos momentos da minha vida tb!! Sera q isso é uma forma comum de agirem os homens?!